Seguidores

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

PALAVRAS SEM NEXO NUM MUNDO DESCONEXO



Este mundo anda muito maluco  e ,na verdade,perco um tempo enorme pensando como classificá-lo.Tarefa considerada inglória,acabei deixando pra lá.Não tenho mais idade para missões impossíveis.
Em vez de dar uma de Américo Pisca – Pisca,(aquele personagem de Lobato que queria consertar o mundo e levou com uma abóbora nos cornos), preferi seguir o conselho da ex-ministra _ relaxe e goze – e fiquei apenas apreciando os acontecimentos em vez de tentar desvendá-los.
E,tenho apreciado (?) coisas que Deus duvida;o santo velhinho por causa disto até  já tirou o time de campo faz tempo.Ainda existem pessoas que afirmam ver e falar com anjos e querubins,mas,eu acho que é um caso de piração,talvez devido a algumas lipo que andaram fazendo e que deram errado.E,considerando a quantidade de mensagens,ppesses e correntes que os desocupados insistem em mandar pra mim ,esse deve ser um caso de loucura coletiva,para psicanalista nenhum botar defeito e ainda faturar um bocado em cima da situação.
Tudo parece andar de cabeça pra baixo,mas,estou até desconfiada que seja eu que estou com defeito de fabricação; afinal,fui fabricada no século passado,nos idos de 42 ,portanto,passível de defeitos congênitos e ou adquiridos.
Não gosto de dizer que o meu tempo era melhor, não era,com certeza,mas,naquele tempo as crianças brincavam na roça fazendo boi de chuchu ,as meninas com suas bruxas de pano –tão bonitinhas e coloridas – e os pais seguiam felizes com suas enxadas nos ombros para capinar e lavrar, com a cabeça em paz,apesar do bolso roto e vazio.
Os garotos e garotas  até os  dez anos freqüentavam  escolas,amavam suas mestras –ainda me lembro de Dona Antonieta me ensinando cartilha –“ a pata nada”- e eu não desconfiava nada que um dia ainda veria um garoto desta mesma idade tentar matar uma professora e depois se matar.
Gente,o suicídio de um garoto de dez anos Isso é demais para mim!
Esse fato deve ser muito bem estudado,dissecado e observado fora das manchetes sensacionalistas de jornais impressos ou globais.

Eu tinha prometido a mim mesma que,por respeito aos meus leitores,jamais usaria meus espaços para falar de coisas hediondas como essa.Para más notícias e tragédias diversas,principalmente se foram passadas em território americano ,-que,hoje,parece ser o mundo todo-  ou ao menos ,o Obama e seus asseclas pensam assim,pois pretendem  com um único veto,frustrar as esperanças de um povo sofrido,humilhado e colonizado.Ou seja os Estados Unidos contra o mundo! Os jornalões e a Globo dedicaram quase uma semana de manchetes e programas , ao 11 de setembro,enquanto no nosso país,sofremos com chuvas,inundações , tragédias e roubalheiras, que, quando não ignoradas ostensivamente  são  tratadas de forma muito superficial ,sem que as xuxas ou aragões venham pedir ajuda e tentar hipocritamente seduzir beócios analfabetos que constituem a   maioria do seu público.
E,agora,pedindo desculpas a meus leitores,cada um deles um amigo do coração,resta-me publicar essas mal traçadas cheias de sinceridade e  deixando vazar a indignação que andava reprimida aqui dentro , até me tirando a vontade de escrever.
Pensei em retirar-me para o Tibet e passar o resto dos meus dias contemplando as montanhas e criando cabras.
O que vocês me aconselham?






CURIOSIDADES:ORIGEM DA PALAVRA FUTEBOL

O nome do jogo mais popular do Brasil tem origem inglesa;verdade é que o próprio jogo foi criado pelos ingleses que o denominaram de  foot (pés,em inglês) e Ball (bola),assim mesmo,bola no pé.
Os ingleses não chamavam foot-ball de foot-ball e sim de soccer ,formado de  as+ soc+er (association football).
Diferente do futebol americano criado em  1874 e que é praticado inteiramente com as mãos,o futebol inglês é o líder dos esportes no Brasil.
O futebol americano,chamado soccer nasceu de uma disputa entre as Universidades de Harvard,americana e McGill,canadense;em campo ,os jogadores disputaram uma variante do rúgbi canadense,uma espécie de vale – tudo,onde entravam beliscões e chutes baixos ou não.
Ia o nosso futebol  muito bem aqui na Pindorama quando os puristas da língua rebelaram-se contra o estrangeirismo  foot-ball  que acabaram  trocando pelo estranhíssimo ludopédio.,do Latim ludo(jogos) pédio(dos pés)
Agora me responda:-  Você iria ao Maraca assistir um ludopédio?Fala  sério!
Não pegou,nem poderia,é claro!
O mais famoso esporte brasileira de origem bretã que revelou nomes como Pelé,Garrincha,Nilton Santos,Júlio César,Tafarel,está caminhando rumo a uma nova Copa .Vamos apoiá-lo.”




Platão – introdução à sua filosofia

Por Pax
Introdução á filosofia de Platão
Platão tratou de quase todos os temas da filosofia. 
Mas há uma Filosofia de Platão?


Se por filosofia se entende um conjunto harmônico de teses ordenadas e coerentes então a filosofia de Platão não existe. O pensamento de Platão está sempre caminhando. Nada mais longe de sua mentalidade que a ordem e a coerência. Entretanto em um sentido mais amplo pode se falar de uma filosofia platônica se por filosofia se entende uma busca metódica do saber humano, dominada por várias posições fundamentais e características, tais como:
1º – A desconfiança dos sentidos
2º – A confiança absoluta no poder da razão
3º – A necessidade da purificação e do amor para a aquisição da verdade filosófica
4º – A necessidade da existência do mundo ideal para fazer possível a verdadeira ciência

Neste acepção menos rígida Platão tem uma filosofia própria e certamente das mais geniais que a história reconhece. Por esta questão há uma dificuldade de apresentar uma síntese ordenada do platonismo e por isso os críticos modernos preferem estudar a evolução de suas doutrinas ao invés de definir sua gênesis. Este método tem a vantagem de apresentar Platão como ele foi e não tentando definir uma idéia fixa de seu pensamento.
Platão é o primeiro pensador que desenvolveu toda temática filosófica. A filosofia pré-socrática era fragmentaria e se reduzia quase exclusivamente ao problema cosmológico. Sócrates mudou de direção e orientou sua investigação para o problema ético e psicológico. Com Platão a filosofia penetra em ambos domínio e entra a ciência do objeto e do sujeito. Além disso, com Platão convergem todas as correntes anteriores. O ser de Permênides e o devir de Heráclito, os números de Pitágoras e os conceitos e definições universais de Sócrates, todo esse acervo de doutrinas opostas se unificam em Platão mediante sua original teoria das idéias que constitui o eixo do platonismo como no modelo divisório abaixo, comum na escola platônica:
Ciência das idéias em si: Dialética
Ciência da participação das idéias
–No mundo sensível: Física
–No mundo moral: Ética
–No mundo artístico: Estética


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS


Certamente que quando Dale Carnegie escreveu este livro,creio que na década de 30 ou 40 ainda não deveria haver festas literárias.
Mas,este título, aplica-se bem a elas.
Em festas assim conhecemos e interagimos com muitas pessoas,leitores e  escritores;normalmente esses últimos são acusados de ter um ego do tamanho de um bonde e dizem as más línguas  que não costumam se dar bem uns com os outros.
Talvez por essa ser uma profissão altamente competitiva,principalmente num mercado escasso de leitores como o Brasil;e,todos precisam de um lugar ao sol.
Na última festa literária que participei,onde estavam reunidos dezenas de profissionais da palavra,não percebi nada disso;e,olhe que sou muito observadora e adoro prestar atenção nos seres humanos,essas figuras fascinantes,que tentamos imortalizar nos nossos livros.
Não devemos esquecer que um escritor é também um ser humano,sujeito a chuvas e trovoadas,como todos  ;haverá o dia em que  despertará com o pé esquerdo,como todo mundo.
O escritor é apenas um operário da palavra com obrigações profissionais como qualquer outra pessoa. E que luta pela vida como todo mundo.
Alguns acham assustador levantar pela manhã e encarar uma tela branca pronta a sugar palavras.Todo dia fazendo tudo quase sempre igual...
Mas, estou me desviando como sempre do tema que escolhi para hoje que é  a amizade;a importância das festas literárias para ampliar conhecimento e informação e conhecer nossos pares,aprendendo com eles.E,vocês não são capazes de avaliar o que aprendi nesses quatro dias com esses mestres da Literatura que conheci em Marechal,durante a Flimar..
Ia ouvindo e guardando carinhosamente essas informações e depoimentos informais no cantinho mais impenetrável do meu coração como uma espécie de poupança para o futuro;descobri tudo que não deveria fazer e o que seria necessário fazer para marcar presença   nesse cenário assustador que é a Literatura ,assim mesmo,no maiúsculo.
Para mim,ser escritor não é apenas escrever livros é mais uma atitude diante da vida,uma exigência e uma intervenção;é desassossegar e nunca acumpliciar-se.É ser um apóstolo cuja religião é o conhecimento.
Bambas como Antonio Torres,Ignácio de Loyola Brandão e Affonso Romano,gente que tem tanto a ensinar,tanta informação a passar e que se debruça com atenção para pessoas como eu que estão começando,trilhando os primeiros caminhos nesta selva onde se criam livros,editam e publicam. Três palavrinhas tão  fáceis de escrever e tão difíceis de realizar.

A primeira lição que aprendi foi a da humildade; a segunda,a da solidariedade e a terceira a da persistência;todos passaram pelo que estou passando hoje e todos venceram.
Não bebi apenas o conhecimento no pequeno convívio com esses mestres; bebi, também, a esperança.








A POESIA DE MARCOS ACCIOLY




                                            Marcus Accioly e Miriam Sales na II FLIMAR

Latinoamérica
Round 22
Fórceps




madre América minha (minha madre) às vezes no teu seio (quando sofro por coragem não ter de ser covarde) ânsias sinto de estar ou ser de novo no teu útero (sim) na intimidade capaz de me fechar (como em um ovo dentro de ti) por isso é natural que me coloque em posição fetal (sim) encolho meu peito até os joelhos puxados com os dois braços (sem falar vou boiando das chamas dos teus pêlos ao teu ventre redondo feito o mar) nado em tua placenta onde os vermelhos lençóis do sangue tentam me dobrar em suas dobras (madre) e sou o filho que religa o cordão ao próprio umbigo (ai quando o pensamento cega o sonho ou o sonho quer mentalizar o mundo) quando eu me reconheço tão estranho que fecho os olhos para ver mais fundo (madre minha) eu me curvo enquanto ponho toda a cabeça em tua vulva e afundo (à semelhança do avestruz) por dentro do fim e do começo do teu centro (em ti posso esconder-me de mim mesmo) sou o menino que era no teu colo (mas perdeu a saúde e está enfermo de tanto suplicar o teu consolo) eu quero ser (mesmo empurrado a ferro como um bolo-de-carne ou feito um rolo- de-sangue) igual a um feto que se esforce a entrar em ti sob invertido fórceps

QUEM É:

Marcus Accioly passou a infância em Aliança, dividido entre os engenhos Laureano e Jaguaraba, propriedade este dos avós paternos e aquele dos maternos e a casa dos pais, no Recife, no bairro de Campo Grande. Concluiu o ginasial no Colégio Americano Batista.
Graduou-se em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco, e Pós-Graduou-se em Teoria Litérária pela Universidade Federal de Pernambuco, onde ministrou aulas até sua aposentadoria.
Foi integrante da Geração 65 e do Movimento Armorial. Membro da academia pernambucana de Letras, na qual ocupa a cadeira 19, que tem como patrono Paulo Arruda, tendo sido eleito no dia 24 de Janeiro de 2000 e empossado no dia 26 de outubro do mesmo ano.
Durante o mandato de Itamar Franco, foi secretário Executivo do Ministério da Cultura durante o ministério de Antônio Houaiss, tendo, em ocasiões de ausência do ministro, assumido várias vezes o cargo.
Atualmente, prossegue em sua produção literária tendo dez livros inéditos, e contribui para o Jornal do Commercio com artigos de opinião publicados quinzenalmente às quintas-feiras. Faz parte do Conselho Estadual de Cultura de Pernambuco como conselheiro emérito e é seu atual presidente.

[editar]
Fonte: Wikipédia





SÓ DÓI UM POUCO QUANDO EU RIO...

POLÍTICA BRASILEIRA






PELO MUNDO...


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O PAIS DA INDECÊNCIA!




Estavam os deputados,
Todos bem  votados
Num tempo   feliz;
‘Te que surgiu
Jaqueline Roriz.

O povo esquecido,
Deixava de lado
Esses deputados,
Jamais cobrados
 por quem de direito:
-esse  pais tem jeito!?


Oh,povo infeliz,
Não vê o que se passa
Diante do nariz...
Daí,proliferam as Ruiz...

Como a gente esperava
E até apostava
Foi absolvida.
E, abduzida
Foi a honra nacional
Esse Congresso é do mal!


Que fazer agora
Tirar o corpo fora?
Ou,na próxima eleição,
 Excluir esses párias
 E suas maracutaias
Milionárias
Do destino da nação...


A ÉTICA, A MORAL E A POLÍTICA
Os tempos difíceis que estamos vivendo nos deixam confusos com relação ao certo e ao errado, à moral e à ética,  e,não raras vezes,nos parece que o errado é que está certo.
Pelo conceito de moral que nossos pais nos transmitiram fica confuso para o cidadão comum, o indivíduo,entender determinadas ações dos nossos governantes ,ações estas,discutíveis,dentro da nossa concepção do que é certo.
O político visa o coletivo,a governabilidade,o bem-comum e ,visto  por esse ângulo,não precisa ser ético ou moralista,mas,fazer de tudo para manter o Estado funcionando.
“ Os fins justificam os meios”.
Mesmo visto desta maneira não  nos parece correto absolver   uma colega de comportamento comprovadamente  criminoso,a deputada Roriz,dando-lhe   novo  fôlego político dele, e,trazendo na bagagem tudo de asqueroso que aconteceu na política brasiliense  desde há muito tempo  ..
A sociedade tem que começar a entender a farsa da democracia, que é mostrada para nós como o melhor dos regimes; talvez seja o menos pior.
A Democracia é composta e solidificada por parlamentares que lá chegaram pelo voto popular,a maior arma de que dispõe o povo-e a mais letal!-
Pena que não é usada com consciência, sobretudo num país onde a pobreza e a ignorância imperam soberanas.Então,votos são trocados por telhas,comida,transporte,dentaduras,coisas comezinhas,porém,mais próxima da necessidade dos cidadãos,que,nesta troca,não sabe que estão entregando o futuro do seu país e da sua gente por ninharias, em vez de exigir escolas decentes,saúde compatível com as necessidades de todos e mais ,estradas,segurança,e uma presença mais sólida no contexto mundial,como um país  justo e eficiente.
O que verdadeiramente me deixa intrigada é que esses populares se mobilizam,se manifestam-basta ver a presença nos shows de artistas populares -e,principalmente,nos estádios de futebol,quando torcem,aplaudem,xingam,ameaça,derrubam muros e lutam nas ruas.Porque não agem assim para defenderem interesses mais justos?
Nossos parlamentares não estão aí para servir o povo,e,sim,ser servido por ele.
 Na verdade,representam grupos de interesses,principalmente dos financiadores de campanha:banqueiros poderosos,grandes conglomerados de empresas nacionais ou multinacionais,planos de saúde,empresários de transportes,comerciantes de armas,que transformaram esse nosso,num estado corporativo.
O povo? Ah,o povo é só um detalhe!como dizia aquela ministra collorida de execranda memória.
Onde está o dinheiro está o poder.
Por isso, no Brasil,sobrevive o clientelismo,os currais eleitorais,o voto de cabresto,ajudando a manter a farsa da democracia.
A Imprensa, como uma hiena que corre atrás das carcaças deixadas pelos exércitos,sempre fica ao lado dos poderosos que as mantém,com suas grossas verbas publicitárias.
Não sei se já notaram que, a mais vendida revista de circulação nacional parece um catálogo da FIESP,pois trás mais anúncios que artigos.
Quando formos doar o nosso voto,necessário se faz verificar quem são os financiadores do político escolhido,para quem ele vai trabalhar;por nós,pela coletividade,com certeza não é;por isso é tão difícil aprovar assuntos de interesse popular ou mudar regras feitas por eles para seu próprio benefício.
Desanimados os “homens bons” correm da política  como o diabo da cruz ,por   julgá-la corrupta e não querer sujar as mãos ,e ,os imorais,os prevaricadores e oportunistas tomam conta dela.E la nave va...Sem nunca mudar de rumo!
Temos que levar em consideração que um país é o reflexo do seu povo.
”A pátria é a família amplificada” dizia Ruy Barbosa,patrono do Senado e que hoje,algumas pessoas têm notado, no seu  retrato pendurado naquela Casa ,um certo desconfortável  rubor.
Como se pedisse desculpas por estar ali
A posição do governo é manter o Poder; a oposição quer tomá-lo para si;neste duelo entre o mar e o rochedo, a ostra,ou seja,o povo,é massacrado.
O povo perdoa certos deslizes do presidente porque a economia vai bem,há crédito,há abundancia,os programas sociais funcionam e a classe operária está feliz.E,como ensinava Maquiavel,no “Príncipe”,”é mais fácil para um sujeito esquecer a   sentença de morte do pai do que a perda do seu patrimônio.
Para finalizar,o certo é que a responsabilidade maior sobre os destinos deste país está em nossas mãos. Voto certo é a arma;vamos mantê-la  engatilhada e apontada para o alvo certo!